Da série: Conversas esquisitas que rolam na criação de campanhas de governo

Data: 1 de janeiro de 2022 - 17:00
estrela

Por Cláudio Leite

– Meu, achei maneira a ideia, mas rolou uma parecida com essa, que foi até premiada, acho que na Ásia, há uns 2 anos.

– Sim, lembrei! Puta campanha do c*%$#! Pô, chance grande da gente emplacar um prêmio aqui também, hein?!

– Então… mas aí… já foi feito, né?

– Ah… mas nosso approach é super diferente. Acho que até lembra… mas é bom pra mostrar que a ideia tá no hype. E não tem nada a ver uma com a outra.

– Não é melhor a gente tentar mudar um pouco? Sei lá… bora trocar a cena do trem bala por um trem de metrô.

– Ah, mas aí vai empobrecer o filme. Tira todo o charme.

– Charme? Mas, peraí… o filme da Ásia era sobre uma rede de hotéis de luxo. Nosso filme é pra um programa assistencial do governo, meu!

– Viu como não tem nada a ver uma coisa com a outra? Acho que nem precisa mudar tanto então.

– Mas aí não vai ter nada a ver com o core do produto.

– É isso aí, mano! Ninguém nunca fez igual.

– Não fez igual porque tá fora do que o cliente espera.

– E-xa-ta-men-te! Já imaginou como vai ser disruptivo?

– Disruptivo? Isso aí tá bem fora do guide, meu! Você tá viajando muito, parceiro.

– Valeu, maninho. É nóis que voa!

– Não… eu tô falando é que tá totalmente fora da casinha!

– Pô, tamo junto!

– Eu tô querendo dizer é que o briefing é outro!

– Isso! Arrebentou, meu velho! É isso aí… a gente ignora o briefing e sugere um novo. Hoje em dia, Cannes premia é propósito, é briefing criativo… coisas que ninguém pediu ainda.

– Ah, chega! Vamo com essa ideia mesmo então pra se livrar logo disso. Mas você que apresenta. Eu tô fora!

– Ah, não! Eu nem tenho nem roupa pra ir em reunião com esse cliente. Vai você, cara.

– Eu também não tenho.

– Já sei. A gente pede pra dupla lá de Brasília apresentar. Eles vão ter que mostrar a linha que eles tão criando mesmo. Aí aproveitam e apresentam a nossa.

– Boa! É até bom que eles aprendem como se faz.